top of page
  • Foto do escritorAna Celeste Pitiá

Desilusão: a essência da experiência humana.

A desilusão é uma experiência profundamente enraizada na condição humana. Desde tempos imemoriais, os indivíduos têm sido confrontados com decepções e fracassos, que os levam a um estado de desânimo. Explorando a natureza da desilusão, suas causas subjacentes e seu papel na formação do caráter humano, observo como ela é algo inerente à vida. E aí, descubro que ela pode ser uma fonte valiosa de aprendizado e crescimento.


Mulher pensativa sentada na areia do mar
Fantasia ou realidade?

Golpes em cima de golpes! A vida não é nada fácil. Aliás, estou sendo até branda. A vida é cruel e muito desafiadora! Essa é a arte de viver: enfrentamento de barreiras, desafios e obstáculos, quase intransponíveis.



Assim, a desilusão surge quando nossas expectativas e esperanças são abaladas. É um choque emocional que ocorre quando a realidade confronta nossa visão idealizada do mundo. Podemos experimentar a desilusão em várias áreas de nossa vida, como relacionamentos, carreira, política e até mesmo em nós mesmos. Ela nos faz questionar nossas crenças, nossas escolhas e a maneira como estamos construindo nossa experiência humana.


Mulher pensativa sentada em uma pedra
Enfrento ou não a vida?

Dessa forma, ela está associada a expectativas irrealistas ou não alinhadas com a verdadeira natureza das situações ou das pessoas envolvidas. A desilusão, portanto, pode ser vista como um confronto fundamental entre a fantasia e o real.


No enfrentamento da vida será necessário discriminar o que é fantasia e o que é real, no sentido de que cada pessoa desenvolverá suas estratégias humanas, para fazer essa diferença. Isso se deve ao próprio contexto sócio-histórico-cultural de cada um de nós. É uma arte de viver!


A arte de viver assim, torna-se uma jornada emocionalmente intensa que nos leva a descobrir a verdadeira essência da vida. Ao longo dos anos, tenho aprendido que a verdadeira arte de viver não está apenas em existir, mas sim em mergulhar na profundidade de cada momento, em saborear cada experiência com gratidão e em abraçar as emoções que nos fazem sentir vivos. É nas pequenas coisas, nos detalhes que muitas vezes passam despercebidos, que posso encontrar a verdadeira beleza da vida.


Seja no sorriso sincero de um amigo, no abraço apertado de um ente querido, no pôr-do-sol que pinta o céu de cores vibrantes, que encontramos a essência da nossa existência. A arte de viver está em valorizar cada respiração, cada batida do coração, cada lágrima que escorre pelo rosto. É permitir-se sentir todas as emoções, mesmo aquelas que nos desafiam e nos fazem questionar o nosso propósito. Nessa jornada, aprendemos que a vulnerabilidade não é um sinal de fraqueza, mas sim de coragem. É ao me permitir sentir, que me conecto com o meu verdadeiro eu e com aqueles ao meu redor.


Desiludida, discrimino fantasia da realidade e consigo abraçar a tristeza, alegria, amor e saudade, que me torna um ser humano mais completo e posso ajudar a você se tornar também!


Assim, considerando a desilusão a essência da experiência humana, considero que a arte de viver não é sobre buscar a perfeição ou evitar a dor, mas sim sobre abraçar as imperfeições e encontrar beleza até mesmo nas situações mais desafiadoras. É sobre aceitar que a vida é um equilíbrio constante entre luz e sombra, e que ambas são necessárias para a nossa evolução.


Homem dando estrela na montanha
Por mais difícil que seja, quero viver.

Então, permita-se sentir, permita-se viver cada momento com intensidade e gratidão. Abrace a arte de viver e considere a desilusão como sua companheira e descubra o quão incrível pode ser essa jornada tão única e preciosamente sua, que é VIVER!


Comments


bottom of page